03/10/2010

Confirma.


Se você é jovem já deve ter tido momentos em que quando ouviu falar em política simplesmente desligou, parou de ouvir, ou simplesmente fingiu que era um assunto banal. Com desculpas como: Ah, é um saco ter que votar nesses caras que só mentem, prometem e não cumprem. Nos conformamos em nos basear na opinião alheia. Pensamos assim porque alguém 
algum dia disse que política era chato e que não adiantaria levantar um dedo para tentar melhorar a situação desastrosa e o caos o qual estamos vivendo. Convivemos com uma falsa sensação de democracia, onde essa só é exercida de quatro em quatro anos quando nos dirigimos à urnas por mera obrigação.
O conformismo na política de pão e circo em que nossas opiniões estão baseadas nos levam a um submundo de ignorância social onde pensamos apenas no que vai trazer benefícios para nós mesmos. A democracia brasileira, propriamente dita, sempre vai ser uma utopia. Pelo menos até que alguém tenha vergonha na cara e nos governe de maneira decente. Mas pessoas como essas não assumirão cargos por si só, eles dependem de nós. Dependem de um voto de confiança. Porém, colocá-los no comando de tudo e entregá-los toda a responsabilidade é um ato inconsequente. Por isso sua participação vai além de teclar alguns números em uma máquina barulhenta e depois o confirma. Um futuro melhor só será possível se os seus protestos e a sua opinião for defendida com unhas e dentes. Cabe a nós fiscaliza-los. Não podemos deixar o poder cair em mãos erradas, mais uma vez. Por isso, nesse 3 de outubro, pare um pouco para pensar sobre o que você realmente quer para sua vida daqui à alguns anos. E talvez você comece a pensar nessa coisa de política de forma diferente.