28/08/2010

Filme

Nessa noite me peguei pensando em você, não necessariamente em você, mas em algumas coisas que aconteceram com a gente,em algumas histórias que por tantos motivos me fizeram acreditar no nosso amor.Lembrei das viagens de carro que fazíamos até Petrópolis que na maioria das vezes eram inesquecíveis.Sem comentar,é claro,da vez em que fomos a um restaurante italiano e ao fim da refeição você me diz sutilmente que esqueceu do nosso cartão de credito e que também não havia trazido a carteira.Enfim,um final de semana cansativo e feliz,pelo menos para mim,cansativo pelo fato de lavar quase todos os pratos daquele moquifo e feliz por estar ao seu lado em todos os momentos possíveis...Apesar de que lavar pratos não seja uma coisa tão sexy assim. Lembrei também das vezes em que olhávamos as estrelas num cartaz de filme de ficção. Pensávamos que em algum outro lugar de alguma outra galáxia desse imenso universo,poderíamos unificar nossos corpos e através das energias nos transformarmos em luz ou até mesmo numa estrela de algum cartaz de filme de ficção. Nessa noite lembrei de coisas que a muito tempo deixei apagadas em minha memória,coisas que fugiram da minha mente,mas que permaneceram no meu paladar por anos e anos,como aquela desastrosa tentativa de me fazer um almoço.A cozinha ficou uma bagunça,os pratos e as panelas,nem se fala! Tudo isso só para fritar uma simples omelete. Enfim, tudo acabou bem a não ser pelo fato de comer tudo e dizer para você que estava uma delícia. Por último e não menos importante lembrei da sua fragilidade me dizendo sobre uma maca hospitalar que tudo acabaria bem.Lembrei do seu sorriso enquanto lágrimas rolavam do meu pranto.Lembrei do desespero de todos enquanto você me fazia um sinal de negativo insinuando para não ficarmos tristes.Lembrei também do olhar cabisbaixo dos médicos que me diziam em palavras curtas que já era tarde demais.E por fim,lembrei e ainda lembro do último "Eu te amo" que já quase sem forças apertava meu coração. Nessa noite me peguei pensando em você e imaginando o quanto éramos felizes, o quanto éramos completos e sonhadores. Saudade da sua omelete, saudade de lavar pratos em Petrópolis, saudade do seu sorriso enquanto o mundo desmoronava,contudo ainda tenho esperanças...Esperança que façamos nossa última viagem,não para Petrópolis,mas para outra galáxia onde poderemos unificar nossos corpos e através das energias nos transformarmos em estrelas de algum cartaz de filme de ficção... 


Por:: Adolfo Oliveira